"A notícia na velocidade em que ela acontece"

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Rússia 2018: Os 32 dias que vão abalar o mundo

Copa da Rússia

Em 1917, a Revolução Russa mudou de  forma irreversível a história do planeta, convertendo-se, geopoliticamente, no maior acontecimento do século 20. Uma história retratada com riqueza de detalhes no livro "Os dez dias que abalaram o mundo", do jornalista socialista norte-americano John Reed. Nos próximos 32 dias, os fatos que acontecerão em solo russo prometem novamente impactar todo o planeta. Mas, desta vez, as estruturas abaladas serão a do futebol. A Copa da tecnologia, do VAR, algo que mudará para sempre a história do esporte mais praticado do mundo. 
De hoje, data do duelo entre Rússia e Arábia Saudita, às 12h (de Brasília), até o dia 15 de julho, os gramados do maior país do mundo vão abrigar os nomes que carregam nos ombros a esperança de 32 nações, divididas em oito grupos. No total, 11 cidades receberão os duelos, que vão se estender até o dia 15 de julho, data da grande final. Doze estádios serão utilizados. Só Moscou, a capital russa, conta com duas Arenas, o reformado estádio Luzhniki, que sediou a abertura dos Jogos Olímpicos de 1980, e o moderníssimo Spartak Stadium. 
Para fazer toda essa engrenagem girar, os russos investiram pesado: US$ 11 bilhões (R$ 40,7 bilhões), quase 10 bilhões a mais que a Copa do Mundo no Brasil em valores corrigidos pela inflação atual. Cerca de 70% destes valores partiram do governo, que enfrentou problemas com as empresas que executaram parte das obras. O próprio presidente Vladimir Putin afirmou que o torneio saiu muito caro para as finanças de um país que vem tentando driblar dificuldades fora do campo como a forte crise econômica que se abateu sobre a nação nos últimos anos e a falta de infraestrutura adequada.
Mas, como um gol nos minutos finais, tudo está 100%, devidamente pronto e em seus lugares para que os astros se imponham. Uma explosão deles. Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo, Salah, Griezmann... Os nomes estão na ponta da língua. E, com certeza, outros serão acrescidos a esta lista. E é aí que reside o encanto. A espera acabou. Um relacionamento que se impõe a cada quatro anos, dominando tudo, o corpo, a alma, o espírito. O futebol em sua essência pura. Um estado de catarse. Alienação ou paixão, deixe que falem. Que todos possamos viver esses dias. Seja bem-vinda, Copa.