quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Mulher de Santiago é assassinada em Bento Gonçalves. Irmã é principal suspeita


A Polícia Civil começa a investigar o assassinato da cuidadora de idosos, natural de Santiago, Aparecida de Fátima Marin Bitencourt, de 44 anos, que foi encontrada morta dentro do apartamento, localizado na rua General Góes Monteiro, no bairro São Francisco, em Bento Gonçalves. A principal suspeita é uma das irmãs da vítima, que morava no apartamento com Aparecida e até agora não foi localizada pela polícia.
De acordo com o delegado Álvaro Becker, que comanda as investigações, o corpo de Aparecida foi localizado ao lado de uma cama, no quarto, após a principal suspeita do crime ligar para uma outra irmã, que mora em Caxias do Sul, e informar que algo grave teria acontecido. Ela foi orientada a comparecer até Bento Gonçalves para verificar a informação. No local, havia um forte odor nos corredores,  e os vizinhos já suspeitavam do silêncio no apartamento nos últimos dias. Aparecida foi encontrada com um corte profundo no pescoço e mais de 10 facadas no peito.
Vizinhos ouviram brigas há mais de uma semana no apartamento. Os policiais foram atendidos por Ana Paula Bittencourt, que afirmou que tudo estava sob controle e a situação tinha sido resolvida. Ela ainda teria explicado que os gritos faziam parte de um pesadelo que ela teve enquanto dormia.
As investigações trabalham com a hipótese de sororicídio, ou seja, que a irmã, Ana Paula Bittencourt, tenha matado a vitima após constantes brigas.
Informações dão conta de que Aparecida, vivia em união estável com um italiano, mas segundo o delegado Álvaro Pacheco Becker titular da 2ª Delegacia de Polícia de Bento Gonçalves não tem nada que indique a relação.
“Por enquanto para polícia esse cara não existe, e se não existe está fora dos autos”, afirma o delegado. Inclusive o perfil na rede social, que ele estaria com um relacionamento sério com a vítima, seria fake.
O corpo de Aparecida é velado em Santiago, as primeiras pessoas já começaram a ser ouvidas pela polícia e imagens de segurança do prédio foram analisadas. Nos próximos dias pelo menos 20 pessoas, entre parentes, vizinhos, policiais, zeladora, síndico, devem ser ouvidas para elucidar o crime.
Este é o 15º homicídio de 2017 registrado em Bento Gonçalves.

Nenhum comentário: