segunda-feira, 10 de julho de 2017

Promotor Barbará Dias diz que insegurança angustia Uruguaiana

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e área interna


Em entrevista na manhã desta segunda-feira, o promotor de justiça Luiz Antônio Barbará Dias falou sobre a situação da segurança pública em Uruguaiana, o que ele qualificou como “sucateada”.

Ele diz que é preciso “urgentemente” atitudes dos órgãos competentes que venham a estancar a proliferação e ações dos chamados “bondes” e grupos de jovens que “habitam” a Praça Barão do Rio Branco, sobretudo nos finais de semana. “Domingo à noite era algo amedrontador o que ocorreu na praça envolvendo jovens, homens e mulheres”, afirmou. O promotor reclama a presença efetiva do Conselho Tutelar. “São menores bebendo se drogando em todos os cantos da cidade todos os dias, mas principalmente nos finais de semana, na praça, imediações, locais de vendas de bebida”, observou o promotor. Ele criticou aqueles que criticam as leis: “é verdade que temos leis imperfeitas, mas são com elas que as policias e MP trabalham. O problema está nas interpretações” assinalou. 

Luiz Antônio Barbará Dias garantiu que é necessário uma tomada de posição de autoridades e forças vivas de Uruguaiana para que o Estado e a União tenham um olhar diferenciado para a fronteira. ”Temos tráfico de seres humanos, principalmente mulheres para prostituição, tráfico de drogas, de armas. Uma fronteira transformada em peneira. Há desencanto das pessoas com todo o aparato policial, por falta de gente, de equipamentos. A sociedade dá e o Estado leva para outras cidades. O índice de criminalidade é cada vez maior. A população está assustada ao ver um marginal que foi preso há poucos dias por assalto a mão armada andar transitando em regime semiaberto. A Caos penitenciário, continuamos sem ter um posto do IGP, nosso helicóptero e equipamentos, departamento de aviação da Brigada Militar fechado na marra. Tudo isso angustia a todos”, disse ele.

Nenhum comentário: