segunda-feira, 26 de junho de 2017

Em São Gabriel, frigorífico de cavalos parou de exportar


Além da suspensão das exportações para os Estados Unidos no abatedouro da Marfrig em São Gabriel, outro frigorífico da cidade sofre com embargo do Exterior. 

O Frigorífico Foresta, que fica a nove quilômetros da cidade, é o único do Estado especializado no abate de cavalos e tem como foco a exportação, já que a carne equina é apreciada em países como Bélgica, Holanda, Itália, Rússia, Japão e Vietnã. O abatedouro e os 115 funcionários estão completamente parados há 10 dias porque, segundo a empresa, a Comunidade Europeia decidiu embargar a importação de carne de cavalos do Brasil.

O embargo dos europeus teria ocorrido depois que autoridades sanitárias do Velho Continente apontaram falhas no controle e inspeção de toda a carne produzida no Brasil. No último dia 7, a Comissão Europeia enviou um documento ao Ministério da Agricultura brasileiro demonstrando essa preocupação, de que não confiam no sistema de inspeção adotado pelo Brasil.
Segundo o frigorífico Foresta, a interrupção das compras de carne de cavalo atingiu não só a empresa, mas também os outros dois abatedouros de carne equina no Brasil, que ficam no Paraná e em Goiás. 
De acordo com o frigorífico gabrielense, os 115 funcionários receberam folga porque há muita carne estocada e a Europa é o principal comprador da empresa. Esta semana, os trabalhadores devem voltar ao trabalho, mas ainda não havia definição sobre a retomada dos abates. Como não há data para que a Europa retome as compras, é provável que o Foresta tente aumentar as vendas para outros países.
GOSTO PECULIAR
A carne de cavalo produzida no Foresta é exportada sem osso. Em países europeus, por exemplo, ela é apreciada porque tem um sabor um pouco mais adocicado que o da carne bovina. Em sites europeus, é possível ver que são fabricados até salame e lasanhas com carne de cavalo.

Nenhum comentário: