quarta-feira, 28 de junho de 2017

Dono de distribuidora de gás fazia a limpa em residências de Santa Cruz do Sul

Objetos apreendidos em cumprimento de mandados de busca

A investigação de uma série de furtos em residências em diferentes áreas de Santa Cruz do Sul levou a Polícia Civil a identificar o dono de uma distribuidora de gás como autor desses crimes. Ele não teve o nome revelado pela delegada Ana Luísa Aita Pippi, da 1ª Delegacia de Polícia, que deverá indiciá-lo por furto qualificado.
Segundo apurou 1ª DP, o suspeito se aproveitava da profissão para ter acesso às casas e evitar ser descoberto. Parte dos itens furtados teria sido vendida pela internet. A investigação busca agora identificar os proprietários de objetos que foram apreendidos nas buscas. 
Os policiais chegaram até o revendedor durante a investigação de furtos em Linha João Alves, Linha Santa Cruz, Pinheiral, Rio Pardinho, entre outras localidades do município. A suspeita é de que ele também tenha agido em Vera Cruz. Não se descarta que o suspeito viesse cometendo esses crimes há mais tempo. Para os furtos, ele utilizava os carros da distribuidora de gás – uma Montana e um Honda Civic, ambos de cor prata. 
A partir das descrições dos veículos e também com algumas imagens de câmeras, a polícia chegou ao suspeito. Também havia despertado a atenção o fato de que o ladrão, em vários casos, furtou também botijões de gás. Segundo a polícia, ele revendia esses mesmos botijões em sua distribuidora, por um preço mais acessível. 
De acordo com a delegada, o criminoso agia sozinho e utilizava os carros para carregar os produtos furtados. Em um dos casos, no fim de março, em Linha João Alves, as vítimas tinham se mudado para a casa há apenas uma semana. Alguns produtos novos estavam embalados quando foram levados. “O que ele pudesse carregar ele ia levando”, afirma a delegada. 
Na residência dele, no Bairro São João, os policiais apreenderam objetos oriundos desses furtos. Parte deles foi reconhecida, mas alguns ainda dependem de identificação. O revendedor prestou depoimento na companhia de um advogado, mas se negou a falar sobre os casos.
Como agia
Os ataques aconteciam durante o dia, no horário em que as vítimas estavam no trabalho. Segundo a polícia, o criminoso chegava nas casas e verificava se havia alguém na residência. Caso houvesse, ele oferecia gás. Se não, podia cometer o furto. O ladrão arrombava portas ou janelas. Das moradias, ele levava produtos como televisão, som, botijão de gás, aspirador de pó, máquina de lavar e máquina de cortar grama, entre outros. Esses objetos eram carregados nos veículos da distribuidora de gás. O comércio dos itens furtados era feito pela internet.
Venda era feita pela internet 
O ladrão se aproveitava das redes sociais para vender os produtos. Na internet, segundo a investigação, ele acompanhava grupos de vendas. Ele não anunciava as mercadorias furtadas, mas quando percebia que alguém estava interessado em algum item, fazia contato diretamente com o possível comprador. Assim, conseguia repassar os objetos sem levantar suspeitas. 
Em um dos casos, o criminoso teria atacado a residência de um dos seus clientes do gás. Depois, segundo a polícia, ele ainda tentou vender uma televisão, também furtada, para a mesma vítima. Parte dos produtos furtados ainda foi apreendida com o suspeito.

Nenhum comentário: