quarta-feira, 17 de maio de 2017

Custos de produção podem prejudicar safra do trigo no Rio Grande do Sul

Resultado de imagem para foto de plantação de trigo
Apesar dos bons resultados com a safra de verão os agricultores podem ter que amargar redução na produção para o inverno. De acordo com a Emater, entidade vinculada ao campo, uma das culturas que mais deve sofrer é o trigo. A projeção leva em conta a procura dos agricultores por insumos, sementes e adubos.
De acordo com a entidade, a área de trigo cultivada deve ser de pouco mais de 700 mil hectares no Rio Grande do Sul em 2017, que é cerca de 6,5% menos que o comparado com o ano passado.
Fatores como o baixo preço do grão e os altos custos de produção têm desmotivado os agricultores a cultivar o trigo.
Foram analisados os dados referentes a 300 municípios que plantam trigo de forma costumeira.
A produtividade média no Rio Grande do Sul deve ficar em torno de 1,6 milhão de hectares para 2017. Os dados, no entanto, não levam em conta mudanças climáticas no período de plantio e desenvolvimento da cultura.
Caso a estimativa se confirme, a produção de trigo gaúcha deve ficar 26% menor que a de 2016, quando foram colhidos mais de 2 milhões de toneladas do cereal.
“É uma cadeia toda que gira em torno dessa cultura, que é muito importante. Para o nosso consumo aqui no estado, com certeza, se não há uma área destinada maior, aumenta a importação e pode aumentar também, de uma maneira geral, o custo para o consumidor final”, afirma o gerente regional da Emater em Santa Rosa, José Vanderlei Waschburger.

Nenhum comentário: