quinta-feira, 20 de abril de 2017

Rotina perigosa: quase 40% dos acidentes nas rodovias envolvem caminhões

Resultado de imagem para foto de caminhões nas estradas

No Brasil, o custo anual com acidentes e vítimas do trânsito é de R$ 50 bilhões. Dados de um estudo recente realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) mostram que são gastos R$ 137 milhões por dia. O Brasil é o país que mais mata no trânsito no mundo — só fica atrás da China e da Índia — e, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 38% dos acidentes nas rodovias federais envolvem veículos pesados, apesar de eles representarem apenas 4% da frota nacional.

O SOS Estrada realizou um estudo que mostra que metade dos acidentes com motoristas profissionais ocorrem sem o envolvimento de outro veículo. São saídas de pista, tombamento, choque com objeto fixo. Situações típicas de acidentes provocados por fadiga. Choques entre caminhões respondem por 32% dos acidentes e apenas 18% envolvem veículos leves. “No Brasil, os motoristas se submetem a jornadas de trabalho muito pesadas, para não perder o serviço, porque precisam do dinheiro. Viajam sem dormir, geralmente acima do limite de velocidade e ainda são ‘premiados’ quando chegam antes do previsto. Dessa forma, quem usa droga tira o serviço de quem não usa”, conta Rodolfo Rizzotto, coordenador do programa SOS Estrada.

Foi na intenção de diminuir os números da violência nas estradas e de vítimas envolvidas nesses acidentes que, há um ano, passou a ser obrigatório o exame toxicológico para motoristas profissionais, ou seja, com Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E. Nos primeiros seis meses de vigência da lei, 33% dos motoristas dessas categorias fugiram do exame toxicológico no ato da renovação de suas carteiras. Uma das consequências foi a queda de 39% nos acidentes com caminhões nas rodovias federais no mesmo período, segundo a PRF.

Nenhum comentário: