quarta-feira, 5 de abril de 2017

Atualizada: Colheitadeira pega fogo em lavoura de soja de Santiago



A máquina era comandada pelo produtor rural Pedro Bassin, que é ex-vereador de Santiago e ex-presidente da Cooperativa Regional Tritícola Santiaguense. Segundo o filho dele, Rodrigo Bassin, um funcionário da propriedade que trabalhava em outra colheitadeira viu o fogo começar e avisou o produtor. Com isso, ele teve tempo de sair da cabine. O produtor não se feriu.
Em pouco tempo, as chamas se alastraram e atingiram o tanque de combustível, carregado com 500 litros de óleo diesel, que explodiu. O incêndio destruiu parte da plantação de soja.
Rodrigo diz que foi tudo muito rápido. Ainda não se sabe o motivo do fogo. A colheitadeira foi fabricada em 2004 e tinha passado por uma revisão geral este ano. 
Na sua página do Facebook, o produtor rural lamentou o incidente, contando que foi o dia mais triste de sua vida desde a morte dos pais. "Aquilo que demorei anos para adquirir, em poucos minutos ficou assim. Se foi meu ganha pão!", escreveu Pedro Bassin, que postou na rede social três fotos do equipamento destruído. A família estima que o prejuízo chegue a R$ 200 mil. A colheitadeira não tinha seguro.
Segundo os Bombeiros de Santiago, em 2016 outra colheitadeira também pegou fogo no interior de Capão do Cipó. Naquele episódio, o incêndio foi provocado por um curto-circuito, depois de o operador da máquina ter atingido fios elétricos.
Em muitos casos de colheitadeiras incendiadas, o fogo é resultado da combinação de plantas secas com o calor do motor da máquina. 

Nenhum comentário: