quarta-feira, 29 de março de 2017

Preço da cebola preocupa agricultores do Rio Grande do Sul

várias pessoas sentadas ao redor de uma mesa debatendo sobre a cebola

Representantes de produtores de cebola da Zona Sul do Estado e técnicos reuniram-se na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi) nesta terça-feira (28), durante a reinstalação da Câmara Setorial de Horticultura. Na pauta: a preocupação com os preços obtidos na comercialização em 2017, abaixo do custo de produção. Segundo eles, em 2016 os preços eram considerados bons.
Os cebolicultores querem que a cebola tenha tratamento diferenciado e seja incluída na lista dos 100 produtos nacionais com a Tarifa Externa Comum (TEC), adotada pelos países do Mercosul. O objetivo é incentivar a competitividade do setor. O secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, pretende levar a demanda ao governo federal.
Outra reivindicação é alterar a fórmula de cálculo do preço de mercado, em função do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF). Para isso, os agricultores pediram que a Seapi interceda junto à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Também pedem preço mínimo para a cebola no âmbito do Plano Agrícola e Pecuário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Demandas essas reforçadas por representantes da Prefeitura de Tavares junto ao secretário Polo.
Durante o encontro, ficou acertado que a Seapi integrará a Câmara Nacional de Hortaliças e Flores, do Mapa, para apoiar os pleitos dos cebolicultores gaúchos.
Participaram da reunião também representantes da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (Anace), Emater/RS-Ascar e Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa/RS).

Nenhum comentário: