quarta-feira, 15 de março de 2017

Neste 15 de março, trabalhadores de Alegrete vão às ruas contra a reforma da previdência



Neste dia 15, categorias de servidores públicos do Estado e do Município de Alegrete vão às ruas, novamente, protestar contra política dos governos estadual e federal. A concentração acontece neste momento na Praça Nova. Depois vem em caminhada até à praça Getúlio Vargas.
Os professores estaduais param contra a continuidade do parcelamento de salários, em defesa do plano de carreira de reformas na previdência que vai dificultar a aposentadoria se as reformas passarem como estão. A presidente do Cpers, Rosa Dotta diz que o indicativo é para greve por tempo indeterminado, decidido em assembléia no último dia 8 de março em Porto Alegre.
Servidores ligados ao Sindiágua também vão aderira à paralisação em Alegrete. Diogo Pereira, do Sindicato, informa que servidores da Corsan vão se engajar nesta luta, “porque as reformas na previdência atingem todos os trabalhadores”. Eles vão sair da unidade na rua Severino Ribeiro em direção ao centro. No trajeto vão distribuir panfletos no comércio e depois se juntar aos demais. Todos os serviços essências serão mantidos, destaca Diogo.
Esta será uma das maiores paralisações em Alegrete com participação de Sindicatos da alimentação, Comerciários, dos Trabalhadores Rurais dos professores municipais, porque todos entendem que esta reforma da Previdência é suicida a todos os trabalhadores. Aumenta o tempo de contribuição e iguala homens e mulheres
Já os trabalhadores da Polícia Civil, até o momento desta postagem ainda não haviam definido se vão se engajar no movimento deste dia 15 de março.

Nenhum comentário: