quarta-feira, 8 de março de 2017

Cinco locais inusitados onde pessoas já foram encontradas mortas



1 – Em um tanque de tratamento crioterápico


Caso você nunca tenha ouvido falar a respeito de tratamentos realizados em tanques crioterápicos, eles se baseiam na exposição do corpo a temperaturas abaixo de zero por alguns minutos para promover a elasticidade da pele e a regeneração muscular. Pois, em outubro do ano passado, uma moça de 24 anos chamada Chelsea Ake-Salvacion foi encontrada morta em um desses tanques na cidade de Las Vegas.

Esses tanques são bem populares entre os atletas
Chelsea trabalhava na clínica que oferecia o tratamento há três anos e, em uma noite, ela decidiu ficar até mais tarde e se submeter a uma sessão no tanque para se livrar de algumas dores musculares. No entanto, algo deve ter dado errado, e a jovem acabou ficando presa na máquina — a temperaturas de 110 °C negativos durante toda a noite. O corpo de Chelsea foi descoberto congelado na manhã seguinte por seus colegas de trabalho.


2 – No alto de uma árvore

Infelizmente, as árvores estão entre alguns dos locais escolhidos pelos suicidas para tirar as próprias vidas, portanto não é tão incomum assim ouvir falar de cadáveres que foram encontrados suspensos pelo pescoço em uma delas. Mas as circunstâncias do caso que vamos contar a seguir são um pouco peculiares. Em vez de o corpo estar pendurado e visível, ele foi descoberto oculto entre os galhos de um carvalho a mais de 9 metros de altura.
Publicidade


Ela foi encontrada escondida ali

O cadáver pertencia a uma estudante norte-americana de 22 anos chamada Melissa Joy Dietzel, que havia ido para a Austrália para trabalhar como babá. A jovem estava desaparecida havia mais de um mês, e seu corpo foi descoberto por um arborista depois de pessoas reclamarem de um mau cheiro vindo da árvore. As autoridades concluíram que Melissa cometeu suicídio e estava morta havia cerca de duas semanas quando foi encontrada.


3 – No interior de um carro


O caso sobre o qual vamos falar agora não é simplesmente de uma pessoa que morreu dentro de um carro. Ela foi encontrada no interior de um veículo que estava no agitado estacionamento de um Walmart havia meses — e ninguém se deu ao trabalho de conferir se existia algo errado.



Não foi bem nesse estacionamento da imagem, mas você entendeu a ideia, né?
Um belo dia, os funcionários decidiram acionar a polícia e avisar sobre o automóvel abandonado — e foi então que o cadáver de Lauren Moss, uma jovem de 22 anos, acabou sendo descoberto. As investigações revelaram que a moça estava desaparecida desde que saiu de uma clínica de reabilitação, e um bilhete de suicídio e uma seringa vazia foram encontrados ao lado de seu corpo — já em avançado estado de decomposição.


4 – Na parede de um apartamento


Raven Joy Campbell, residente da cidade de Los Angeles, tinha 31 anos de idade quando desapareceu. Ela morava em um prédio, e seus vizinhos chegaram a reclamar de odores estranhos no edifício, mas ninguém chegou a associar o sumiço de Raven com o mau cheiro — até que...



E demoraram 7 anos para verificar o apartamento!
Sete anos depois de Raven desaparecer, os familiares da mulher receberam uma ligação anônima, e a pessoa no outro lado da linha disse que as autoridades deveriam checar uma parede em seu antigo apartamento. Os policiais foram até o local acompanhados de cães farejadores, e dito e feito: lá estava Raven sepultada.
No fim, os investigadores determinaram que a mulher havia morrido devido a uma forte pancada na cabeça, e um homem chamado Randolph  Garbutt — que dividia o apartamento com Raven — foi considerado culpado pelo assassinato.


5 – Dentro de um elevador


Se você não é muito fã de elevadores, eis uma história que vai fazer você gostar ainda menos deles! No início deste ano, trabalhadores que faziam a manutenção do elevador de um edifício na cidade de Xian, na China, descobriram algo nada agradável. Em seu interior, eles encontraram o corpo em decomposição de uma das moradoras do prédio.

Imagine a solidão
Aparentemente, o elevador havia dado sinais de problema, e a administração do edifício decidiu desligá-lo. Acontece que o pessoal do prédio não seguiu o protocolo de segurança corretamente e não verificou se havia alguém dentro ou não — e a companhia de reparos só foi chamada mais de um mês após o desligamento. A mulher vivia no 15º andar e provavelmente morreu de sede e fome enquanto esperava que alguém abrisse a porta.

Nenhum comentário: