quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Nove são presos em ação contra tráfico e lavagem de dinheiro em Pelotas



A Polícia Civil deflagrou hoje (15) uma operação contra ao tráfico de drogas, roubo e à lavagem de dinheiro em Pelotas, na região Sul do Estado. Entre os presos está Daiana Freitas, 29 anos, eleita musa do Brasil de Pelotas em 2016.
A jovem é uma dos investigados na Operação Katáschesi, deflagrada pela Defrec (Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas) do município. Na ação, que ocorreu nos bairros Areal, Centro e Fragata, foram cumpridos 12 mandados de prisão e 11 mandados de busca e apreensão. Também foram apreendidos dois veículos e os celulares dos suspeitos.
Segundo o delegado Rafael Lopes, os criminosos investiam o dinheiro oriundo de roubos e tráfico de drogas em empresas lícitas, imóveis e veículos através de pessoas que não eram do grupo, conhecidos como “laranjas”. “Eles, inclusive, alugam os imóveis para gerar mais renda e esquentar o dinheiro das práticas criminosas”, conta.
A investigação começou ainda em 2016 e busca identificar os participantes de uma das organizações criminosas que disputam o domínio do tráfico de drogas na cidade. Alguns bandidos já estão presos e ocupam a galeria C, do PRP (Presídio Regional de Pelotas).

A prisão da ex-musa

Daiana Freitas, eleita Musa Xavante 2016, é companheira de um dos traficantes já presos. Ela foi presa no fim da manhã desta quarta-feira (15) em Charqueadas, na região Carbonífera, onde realizava uma visita íntima ao companheiro.
O bandido é um dos detentos que escapou do PRP no dia 4 de agosto do ano passado, onde um caminhão foi jogado contra o muro da penitenciária. Ele acabou recapturado em outubro, em Santa Catarina.
Daiana está sendo acusada de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas. A ex-musa será encaminhada de volta a Pelotas, onde deve prestar depoimento e ser levada para a mesma casa prisional onde tantas vezes visitou o companheiro enquanto ele esteve na região Sul.

As apreensões

Foram apreendidos hoje 11 veículos e identificados 14 imóveis de posse da quadrilha, somando a quantia de R$ 3 milhões de reais. Nove propriedades já foram sequestradas pela Justiça. De acordo com a Polícia Civil, no período de um ano, a quadrilha movimentou cerca de R$ 4 milhões.
Na 1ª fase da Operação Katáschesi, e ao longo das investigações, já haviam sido efetuadas oito prisões. Ao todo, 45 pessoas ja tinham sido indiciadas pela prática de crimes como lavagem de dinheiro, organização criminosa, roubo e tráfico.
Cerca de 60 policiais da região de Pelotas participaram da operação. Os presos foram conduzidos à Delegacia e após os procedimentos legais serão encaminhados ao sistema prisional.

Nenhum comentário: