sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ex-'Fazenda' deixa carta de despedida e família desabafa: 'Arrasados'

(Foto: Reprodução)

Parentes de Heloísa Worms Pinto, de 46 anos, conhecida como Heloísa Faissol, deixaram o Instituto Médico-Legal (IML), no Centro do Rio, no fim da manhã desta sexta-feira. Todos estavam muito abalados com a morte da socialite e funkeira - o corpo foi encontrado em seu apartamento, em Copacabana, Zona Sul da cidade, nesta quinta. Cunhado de Heloísa, Aloísio Salazar disse que ninguém sabe o que aconteceu.
- Estamos arrasados. O sentimento da família, neste momento, é o pior possível. Não fazemos ideia do que aconteceu. A polícia ainda está fazendo os exames necessários para descobrir o que ocorreu.
Entre os parentes que foram ao IML estava o filho de Heloísa, José Arthur, de 19 anos. Foi ele que encontrou o corpo da mãe, na cozinha do apartamento, na tarde desta quinta. Segundo as primeiras informações da delegada Cristiane Bento, titular da 13ª DP (Ipanema), o caso não está sendo tratado como homicídio.
- Vamos começar a ouvir os parentes a partir de segunda-feira. Estamos respeitando esse momento de luto dos parentes para esclarecer as circunstâncias da morte. Não descartamos nenhuma possibilidade, mas homicídio é a menos provável. Não havia sinais de arrombamento no apartamento. Aguardamos o resultado do laudo que determinará a causa da morte - disse a policial.
Ainda de acordo com Cristiane, foram recolhidos textos escritos por Heloísa que serão encaminhados à perícia.
Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que um inquérito foi aberto para que as circunstâncias da morte de Heloísa sejam investigadas. Segundo a delegada da 13ª DP, a moça deixou uma carta de despedida para a família, que ainda não foi divulgada:
"Um procedimento foi instaurado na 13ª Delegacia de Polícia (Ipanema) para apurar a morte de Heloísa Worms Pinto, 46 anos, cujo corpo foi encontrado ontem à tarde em um apartamento localizado na Rua Sousa Lima, Copacabana. Perícia foi realizada no local e diligências estão em andamento para esclarecer todas as circunstâncias do ocorrido. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para determinar a causa da morte".
O corpo de Heloísa Faissal será cremado no próximo sábado, às 9h, no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária do Rio.

'Era uma pessoa de extremos', diz amigo
Em entrevistas, Heloísa disse que vivia à base de remédios. "Não me imagino sem meus calmantes”, contou ela à revista “Glamour”, em fevereiro de 2014. Um amigo de Heloísa ouvido nesta sexta-feira pelo EXTRA revelou que a socialite tinha “momentos de altos e baixos”.
- Ela teve uma fase de tomar medicamentos para depressão e afins. Já falou a respeito em entrevistas. Era uma pessoa de extremos, hora estava muito feliz, hora down. Tinha momentos de altos e baixos - disse o administrador Wanderson Bassani, amigo da socialite há cinco anos.
Bassani conta que falou com Heloísa pela última há três semanas e que ela estava feliz:
- Nos divertimos com um post que eu fiz. Ela estava feliz. Tanto que fiquei chocado com a notícia. Ela era uma pessoa incrível, que viveu o extremo, se assim fosse preciso, ou se a vida assim pedisse. Era adorada por todos.

Fama após virar cantora
De classe média alta, Heloísa ficou famosa ao virar cantora de funk e organizar festas no Morro da Babilônia, na Zona Sul do Rio. Ela chegou a adotar o nome “Helô Quebra-mansão”, em homenagem à também funkeira Tati Quebra-barraco. Heloísa participou da 7ª edição do reality show “A Fazenda”, em 2014, quando ficou entre os três finalistas.

Nenhum comentário: